top of page

Projetos
e Ações

FORMA-1.png

Desde a década de 1990, o IPFD desenvolve atividades de formação, capacitação e comunicação voltadas a potencializar assuntos das políticas públicas e da participação da população na condução e fiscalização dessas políticas – o chamado controle social.

 

Seus projetos procuram iluminar a importância da Comunicação   - especialmente os pequenos meios populares, alternativos e periféricos – e valorizar a face humana desses veículos ou seja, seus comunicadores.

  • Direitos Humanos, direito da gente!
    Com produção e organização da OBORÉ e do Instituto de Pesquisa, Formação e Difusão de Políticas Públicas e Sociais (IPFD) a partir de desenhos exclusivos da cartunista Laerte, a campanha “Direitos Humanos, direito da gente” tem o objetivo de colaborar no esclarecimento, no acesso e na disseminação de informações sobre a rede de serviços da Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania (SMDHC) junto à população de São Paulo. A campanha tem caráter educativo, foi construída de forma coletiva com todas as coordenações / divisões técnicas da Secretaria e viabilizada por meio de emenda parlamentar do então vereador Eduardo Suplicy, em 2022. Apresenta, além de folder com acesso à rede de serviços e peças para as redes sociais (Facebook, Instagram, WhatsApp, Twitter / X e Tik-Tok), 17 cartazes temáticos por área de atuação, a saber: Ouvidoria de Direitos Humanos Promoção da Igualdade Racial Políticas para as Mulheres Políticas para LGBTI Políticas para a Pessoa Idosa Políticas para Juventude Políticas para Povos Indígenas Políticas para População em Situação de Rua Egressos Localização Familiar e Desaparecidos Políticas para Criança e Adolescente Políticas sobre Drogas Políticas para Imigrantes e Promoção do Trabalho Decente Educação em Direitos Humanos Participação Social Segurança Alimentar e Nutricional Promoção e Defesa dos Direitos Humanos EXPEDIENTE Conceito: Sergio Gomes, Ana Luisa Zaniboni Gomes, Luana Copini (OBORÉ e IPFD), Renata Mie Garabedian e Tayná Rodrigues Salviano (SMDHC/EDH) Desenvolvimento, validação e acompanhamento: Coordenações e Divisões técnicas da SMDHC Pesquisa e produção: Ana Luisa Zaniboni Gomes, Luana Copini e Thaís Manhães (OBORÉ e IPFD) Ilustrações: Laerte Projeto e criação gráfica: Carlos Guena / Formato Gráfico Produção para as redes sociais: Luana Copini e Thaís Manhães / OBORÉ e IPFD Trilha sonora dos vídeos: Flash Urbano, de Marcos Zaniboni / Oficina do Olhar Cerimônia de lançamento: 4 de dezembro de 2023, segunda-feira, 18h Biblioteca Municipal Mário de Andrade / Auditório Rubens Borba de Moraes – Rua da Consolação, 94, Centro. Material disponível aqui: https://drive.google.com/drive/folders/19VGJeJlnlQZ6ydKqm-vlQuDgYrMJetnb?usp=sharing Para mais informações: Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania (SMDHC) Departamento de Educação em Direitos Humanos - EDH (11) 2833-4269 | cedh@prefeitura.sp.gov.br Apoiadores desta iniciativa: Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania (SMDHC) e OBORÉ Período: 2023
  • Correspondentes da Cidadania - Projeto Repórter do Futuro
    O Correspondentes da Cidadania foi especialmente desenhado para possibilitar aos participantes conhecerem as diversas estruturas, competências e estratégias da política municipal de Direitos Humanos e sua rede de serviços na cidade de São Paulo. Ao adotar o conceito de sala de aula invertida - metodologia ativa de ensino-aprendizagem em que o estudante é protagonista da construção de seu conhecimento - o curso promoveu encontros de formação virtuais e presenciais sob a forma de palestras seguidas de entrevistas coletivas, visitas a equipamentos públicos e exercícios práticos de reportagem. Durante o percurso, os 131 inscritos foram estimulados a trabalhar em grupos, a elaborar pautas, realizar entrevistas e desenvolver reportagens em formatos variados - texto, áudio, vídeo ou multimídia. As 19 produções finais de autoria de 38 estudantes e recém-formados participantes das atividades de campo estão registrados neste e-book. Este curso integra as atividades do Projeto Repórter do Futuro e foi uma realização conjunta da OBORÉ, do Instituto de Pesquisa, Formação e Difusão de Políticas Públicas e Sociais (IPFD) e da Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania (SMDHC), com o apoio da Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji). OBJETIVO GERAL Realizar atividade de formação voltada a estudantes de graduação, em especial da área da Comunicação – Jornalismo, Rádio e TV, Audiovisual, Multimeios, Educomunicação - e com a participação das equipes da SMDHC e da sua Rede de Serviços com o intuito de apresentar e esclarecer questões introdutórias sobre os direitos humanos, destacando as diretrizes atualmente observadas pelo município e cuja condução estratégica é de responsabilidade da SMDHC. OBJETIVOS ESPECÍFICOS Contribuir com a divulgação das diversas estruturas da SMDHC junto ao público em geral e estimular a produção de peças em texto, áudio, vídeo e multimídia sobre temas relacionados à rede de serviços na cidade de São Paulo. METODOLOGIA Pesquisa e estudo prévio de temas e questões aos quais se dedica a SMDHC por parte da coordenação e estudantes; participação de alunos/alunas em Palestras seguidas de Entrevistas Coletivas com representantes da SMDHC e da Rede de Atendimento; atividades práticas de produção de peças de comunicação em texto, áudio, vídeo e/ou multimídia por parte de alunas / alunas do curso. Ao final, há o desafio para que essas produções sejam veiculadas nos mais variados meios de comunicação – sejam tradicionais, alternativos, periféricos ou institucionais. METAS Conquistar a adesão / inscrição de 100 (cem) estudantes universitários e recém-formados oriundos de escolas públicas e privadas do estado de São Paulo. Promover 12 palestras / entrevistas coletivas com representantes da SMDHC e da Rede de Atendimento de Direitos Humanos. Estimular a produção, em grupos, de 12 reportagens de fôlego em bairros da cidade (em texto, áudio, vídeo, fotos ou multimídia) sobre os temas discutidos nos encontros e nas propostas de pauta suscitadas ao longo do curso, incentivando a publicação / veiculação das produções em jornais de bairro, veículos alternativos e periféricos, nos veículos laboratoriais das universidades, na TV Câmara e em demais equipamentos de difusão aos quais os estudantes tiverem acesso. Organizar uma peça digital (e-book) com as produções resultantes do projeto como forma de registro das atividades e produções realizadas no curso. ENCONTROS DE FORMAÇÃO Entre os dias 27 de maio e 15 de julho foram realizados 4 encontros gerais de formação, sob a forma de palestras /entrevistas coletivas, 3 encontros gerais de compartilhamento de aprendizados e 15 encontros temáticos entre as coordenações técnicas da Secretaria e os grupos de estudantes do projeto. PRODUÇÕES Após a fase dos Encontros com as coordenações, os estudantes passaram para a fase prática do curso: andar pela cidade, descobrir pautas e transformá-las em reportagens. Ao todo, os 17 grupos produziram 19 reportagens das quais 10 vídeos, 8 textos e 1 podcast. PARA TER ACESSO À INTEGRA DO CURSO, ACESSE O E-BOOK: https://obore.com/public/correspondentesdacidadania/ Apoiadores desta iniciativa: foi uma realização conjunta da OBORÉ, do Instituto de Pesquisa, Formação e Difusão de Políticas Públicas e Sociais (IPFD) e da Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania (SMDHC), com o apoio da Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji). Período: 2023
  • Cinema e Jornalismo: Luzes sobre São Paulo - Projeto Repórter do Futuro
    Debater sobre São Paulo é jogar luz sobre a cidade e sua complexidade cultural, social, econômica, política e urbana. E porque não o fazer pelas lentes do cinema e do jornalismo? Neste curso, os estudantes são convidados a assistir filmes, participar de debates, reflexões e entrevistas coletivas com especialistas sobre as obras cinematográficas e as temáticas envolvidas na programação, além de produzirem, durante o percurso, trabalhos jornalísticos que deverão ser publicados em diferentes formatos e plataformas (textos, vídeos, áudios, entre outros). O curso é realizado pelo Instituto de Pesquisa, Formação e Difusão de Políticas Públicas e Sociais (IPFD), em parceria com a OBORÉ Projetos Especiais, e conta com o apoio da Secretaria Municipal de Cultura da Prefeitura Municipal de São Paulo. Utilizando a mesma metodologia do Projeto Repórter do Futuro, o curso cria ambiente para 10 encontros de reflexão, seguidos de Conferências de Imprensa. O ponto de partida de cada encontro são obras cinematográficas (disponibilizadas e assistidas previamente na plataforma da Spcine) que guiam as reflexões, discussões, pautas, reportagens, documentários, narrativas audiovisuais e produções multimídia dos estudantes sobre a cidade de São Paulo. A atividade é voltada a estudantes e recém-formados nos cursos de graduação em Comunicação com habilitação em Jornalismo, Multimeios, Audiovisual e/ou Cinema, de instituições do estado de São Paulo, públicas e privadas. Metodologia Cada encontro é precedido pela audição dos filmes selecionados na programação. Eles são disponibilizados, previamente, de maneira online para todos. A cada sábado há a participação remota em palestras, seguidas de entrevistas coletivas com profissionais e especialistas que dialogam com a temática do filme, da cidade e/ou do encontro proposto na programação. Durante os 5 últimos encontros, os estudantes e recém-formados, devem se organizar em grupos para a produção de peças audiovisuais e/ou multimídia, sobre a cidade de São Paulo e o percurso dos encontros. Ao final, há o desafio para que essa produção seja veiculada nos mais variados meios de comunicação – sejam tradicionais, alternativos, periféricos ou mídias sociais. São selecionados 100 estudantes e recém-formados formados nos cursos de graduação em Comunicação com habilitação em Jornalismo, Multimeios, Audiovisual e/ou Cinema, de instituições do estado de São Paulo, públicas e privadas. A política de financiamento estudantil e o sistema de cotas são critérios a serem utilizados como indicadores de seleção às vagas do curso. No formulário de inscrição há um campo específico para indicar se o postulante ao curso é matriculado em uma instituição privada ou pública e se seu ingresso na universidade foi via Ação afirmativa EP (EP= Escola Pública), Ação afirmativa PPI (PPI= Pretos, pardos e indígenas) ou Ampla concorrência (AC), no caso da rede pública. Se for aluno de escola privada, deverá indicar se é beneficiário de programas de bolsa, como por exemplo, FIES ou PROUNI. A primeira edição acontece aos sábados, das 10h às 12h30, de 6 de novembro de 2021 a 29 de janeiro de 2022, contemplando: - 50 vagas para estudantes de escolas públicas - 50 vagas para as estudantes de escolas privadas sendo que, para estes, daremos prioridade aos estudantes com bolsas e financiamento estudantil. Apoiadores desta iniciativa: Secretaria Municipal de Cultura da cidade de São Paulo por meio de emenda parlamentar do vereador Eliseu Gabriel, presidente da Comissão de Educação e Cultura da Câmara Municipal de São Paulo, e OBORÉ Projetos Especiais. Período: 1ª edição (2021/2022); 2ª edição (2022/2023); e 3ª edição (2023/2024)
  • Redação-Laboratório - Congressos da Abraji - Projeto Repórter do Futuro
    Uma redação-laboratório sob medida para o Congresso da Abraji Em 2010, a equipe do Projeto Repórter do Futuro foi desafiada pela Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji) a constituir uma Redação-Laboratório e colaborar com a cobertura de seus congressos internacionais. Desde então, anualmente, a OBORÉ dedica-se a organizar as atividades desta Redação de forma colaborativa: a partir de um edital, estudantes e recém-formados que, necessariamente, tiveram passagem pelo Repórter do Futuro, manifestam interesse em participar da cobertura e passam por uma etapa de formação específica durante três meses. Junta-se a eles um time de jovens jornalistas e professores para planejar e orientar o grupo nas diversas etapas de produção e publicação das notícias. Foi criado um blog, vinculado ao site oficial da Abraji, que é alimentado em tempo real durante o congresso e que reúne as coberturas realizadas nas últimas onze edições. Essa complexa empreitada ajuda a estimular a iniciativa, criatividade e o desenvolvimento dos estudantes e, simultaneamente, o sentido de disciplina, cooperação, respeito rigoroso a prazos e acurácia informativa. Conheça o site oficial da Cobertura: www.congressoabraji.wordpress.com Apoiadores desta iniciativa: Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo, Conselho de Comunicação e Informação da Unesco | Oficina Regional de Ciências para a América Latina e Caribe e OBORÉ Projetos Especiais. Período: 2010 a 2023
  • Descobrir São Paulo, Descobrir-se Repórter - Projeto Repórter do Futuro
    A Escola do Parlamento da Câmara Municipal de São Paulo, a OBORÉ Projetos Especiais e o IPFD uniram esforços para a promoção dos cursos Descobrir São Paulo - Descobrir-se Repórter, módulo temático do Projeto Repórter do Futuro nos anos de 2012 a 2020. Trata-se de projeto de formação iniciado em 1994 cuja proposta é complementar as atividades práticas laboratoriais de alunos matriculados nos cursos de Jornalismo com foco no estímulo à prática reflexiva e no exercício da reportagem. Seu objetivo é aproximar estudantes de Jornalismo das grandes questões que desafiam o crescimento de uma cidade como São Paulo, vistas sob a ótica dos gestores públicos ligados ao poder executivo ou legislativo, estudiosos e especialistas, mas também vivenciadas nas visitas aos bairros – momento em que os jovens são estimulados a traduzir a complexidade da cidade e o cotidiano do seu povo em entrevistas e reportagens de campo. Busca também: - Promover a investigação dos principais problemas da cidade de São Paulo a partir de conferências de imprensa e entrevistas coletivas com gestores públicos, vereadores e especialistas; - Colaborar para que os futuros jornalistas com atuação na cobertura dos assuntos da cidade sejam, acima de tudo, profissionais mais capazes e capacitados, gerando, em decorrência, leitores mais bem informados; - Estimular os jovens a conhecerem a cidade em sua extensão e diversidade a partir de seus bairros, especialmente os instalados nas áreas mais periféricas, de grande extensão territorial e enorme população de baixa renda – público que mais desafia os diversos programas sociais de sucessivas administrações não só municipais, mas também estaduais e federais. O roteiro de aulas dos módulos é desenhado para apoiar iniciativas em curso na Câmara Municipal. Os temas propostos para os encontros temáticos constituem o eixo central do curso e referem-se aos grandes problemas que desafiam a gestão de nossa cidade. São eles: Mobilidade Urbana, Habitação, Saúde, Educação, Meio Ambiente, Cultura e Segurança. Importante destacar que o Projeto Repórter do Futuro desenvolveu uma metodologia própria para conduzir pedagogicamente suas atividades através de Conferências de Imprensa seguidas de Entrevistas Coletivas. Os alunos são acompanhados, de forma individual, na produção de seus textos e, ao final do módulo, desenvolvem uma produção jornalística - impressa, radiofônica, televisiva ou multimídia - a partir de uma reportagem de fôlego, com foco no empenho para sua publicação. É a chamada Operação Ponto Final, desenvolvida em duplas e no bairro de livre escolha dos estudantes. Apoiadores da iniciativa: Escola do Parlamento da Câmara Municipal de São Paulo e OBORÉ Projetos Especiais. Período: 2012 a 2021
  • Oficina de Capacitação para o Controle Social no SUS
    Atividade de mobilização de cerca de 500 radialistas da Rede de Comunicadores pela Saúde e produção de programas educativos para disseminar a importância do controle social. O desafio que nos foi apresentado foi bem resolver - no estreito espaço de oito horas de trabalho - três questões cruciais: contribuir para que cada radialista entenda o que se tem e o que se quer com a Saúde Pública no Brasil; estimular o desempenho em equipe para que a Rede de Comunicadores Pela Saúde venha a constituir- se como um sistema permanente de controle social; criar situações onde cada um pudesse revelar suas aptidões e talentos fortalecendo, dessa forma, a auto-estima indispensável a quem precisa trabalhar com a criatividade e o novo. ​ Os pressupostos conceituais para a realização das oficinas de capacitação dos radialistas foram (1) estabelecer a relação entre Comunicação e Saúde; (2) considerar as emissoras de rádio integrantes da rede como espaços educativos para o controle social; (3) considerar os radialistas integrantes da rede como controle social e (4) evidenciar aos comunicadores da rede a importância e necessidade de registrarem as ações informativas sobre o controle social que realizarem em suas emissoras de rádio. O curso e metodologia sugerida pretenderam, ao mesmo tempo, sensibilizar os participantes para o tema do controle social das políticas de saúde e qualificá-los para um melhor desempenho permanente como cidadãos e profissionais. Apoiadores desta iniciativa: Fundo Nacional de Saúde, Secretaria de Gestão Participativa do Ministério da Saúde e OBORÉ Projetos Especiais em Comunicações e Artes. Período: 2006 a 2008
  • Programa de apoio institucional a Ouvidoria de polícia e e Policiamento Comunitário
    Trata-se de uma ampla campanha junto a rádios e radialistas populares (“Conte para a Ouvidoria; nós contamos com você” ) destinada a iluminar a importância das ações de segurança pública e de garantia dos direitos humanos e dar visibilidade ao trabalho das 14 Ouvidorias de Polícia que atuam nos estados da Bahia, Ceará, Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso, Minas Gerais, Pará, Paraná, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, São Paulo e Santa Catarina. Esta ação comunicacional compreende a produção de material radiofônico, cartilhas educativas e encontros de sensibilização com comunicadores populares desses 14 estados. Ligado ao Programa de Apoio Institucional para Ouvidorias de Polícia e Policiamento Comunitário, em cooperação bilateral com a União Européia, o projeto objetiva auxiliar na instauração da responsabilização democrática das forças policiais brasileiras, particularmente no que concerne ao respeito pelos direitos humanos e à redução do uso de métodos violentos na luta contra a criminalidade, reforçando os mecanismos de controle externo das polícias e as iniciativas de policiamento comunitário. Os produtos são igualmente voltados para radialistas, comunicadores, pesquisadores, gestores e interessados nos temas da segurança pública e estão disponíveis nos seguintes endereços: ​ Apoiadores desta iniciativa: Secretaria Especial dos Direitos Humanos da Presidência da República (SEDH), União Européia e OBORÉ Projetos Especiais em Comunicações e Artes. Período: 2009 e 2010
  • Produção Radiofônica sobre Literatura
    À Beira da Palavra, série radiofônica concebida pelo poeta e escritor Allan da Rosa e pelo jornalista Spensy Pimentel, foi realizada em 2012 a partir de incentivo Proac - o projeto foi vencedor do Concurso de Apoio a Projetos de Difusão da Literatura no Estado de São Paulo, promovido pelo Programa de Ação Cultural da Secretaria de Estado da Cultura, em agosto de 2011. Constam da série mais de 20 entrevistas de 60 min cada, com expoentes da literatura negra, indígena, africana, nordestina contemporâneas - tudo o que está à beira -, e mais alguns programas com estudiosos de autores antigos, como Carolina de Jesus e James Baldwin, incluindo Cidinha da Silva, Olivio Jekupe, Márcio Macedo, Salloma Jovino Salomão. A engenharia sonora é de Mateus Subverso, produção de Joana Moncau. O material foi originalmente exibido na Rádio USP a partir de novembro de 2012, e agora está disponível na internet, no site: http://www.edicoestoro.net/radio/beira-palavra.html ​ ​Apoiadores desta inciativa: Programa de Ação Cultural da Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo (PROAC), Edições Toró e OBORÉ Projetos Especiais em Comunicações e Artes Período: 2011 e 2012
  • Ações e produtos de Comunicação a serviço da saúde do trabalhador
    Atuou na nova edição revisada do Manual de Gestão e Gerenciamento da RENAST – Rede Nacional de Atenção Integral à Saúde do Trabalhador, finalizada no 2º semestre de 2011. BRASIL. Ministério da Saúde. Manual de Gestão e Gerenciamento da RENAST. Brasília, 2011. Disponível em << http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/ManualRenast2.pdf>> ​ Apoiadores desta iniciativa: Fundo Nacional de Saúde, Coordenação de Saúde do Trabalhador do Ministério da Saúde (COSAT/MS), Instituto de Pesquisa, Formação e Difusão em Políticas Públicas e Sociais e OBORÉ Projetos Especiais em Comunicações e Artes. Período: 2009 e 2010 ​
  • Ações e Produtos de Comunicação a serviço da saúde do trabalhador - 1ª edição
    Cartilha “Para Saber das Coisas” – Falando da Política Nacional de Saúde do Trabalhador e das Doenças Relacionadas ao Trabalho. Aborda temas de grande importância para a defesa dos diretos dos cidadãos brasileiros: a lógica do Sistema Único de Saúde, as atividades de um Centro de Referência em Saúde do Trabalhador e o funcionamento da Rede Nacional de Atenção Integral à Saúde do Trabalhador, além de um capítulo específico sobre doenças relacionadas ao trabalho. A publicação conta ainda com um guia nacional de fontes institucionais sobre saúde dos trabalhadores e textos de aprofundamento como Direito à Moradia, à Educação e à Comunicação Série radiofônica “Para Saber Mais”– Formada por 15 programas de 5 minutos cada e 90 spots temáticos de 1 minuto distribuídos em 3 CDs, com a síntese das ações e diretrizes da Política Nacional de Segurança e Saúde do Trabalhador. Traz também entrevistas de especialistas e consultores dos Ministérios da Saúde, do Trabalho, da Previdência, bem como do Ministério Público e depoimentos de trabalhadores. São abordadas questões como legislação, direitos, doenças, a quem recorrer e como participar das decisões políticas. Tanto a cartilha quanto a série radiofônica foram distribuídas para 2 mil radialistas, de todo o Brasil. Manual de Gestão e Gerenciamento da RENAST – Voltado especialmente para gestores, gerentes, administradores e técnicos da rede de serviços do Sistema Único de Saúde, o Manual apresenta caminhos que facilitam a gestão e o gerenciamento dos equipamentos que integram a Rede Nacional de Atenção Integral à Saúde do Trabalhador. Os produtos são voltados para radialistas, comunicadores, pesquisadores, gestores e interessados nos temas da saúde do mundo do trabalho. Estão disponíveis no site do Ministério da Saúde e na Biblioteca Virtual em Saúde nos seguintes endereços: BRASIL. Ministério da Saúde. Manual de Gestão e Gerenciamento da RENAST. Brasília, 2006. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/ManualRenast06.pdf BRASIL. Ministério da Saúde. Para Saber das Coisas: falando da política nacional de saúde do trabalhador e das doenças relacionadas ao trabalho. Brasília, 2006. Disponível em http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/cartilha_radialistas.pdf Apoiadores desta inciativa: Fundo Nacional de Saúde, Coordenação de Saúde do Trabalhador do Ministério da Saúde (COSAT/MS) e OBORÉ Projetos Especiais. Período: 2006 a 2008
  • Gestão, acompanhamento e comunicação de projetos de arte, educação e tecnologia"
    Em dezembro de 2011, em parceria com a Fli Produções Culturais, organização integrante da Casa de Cultura Digital, o IPFD foi selecionado para assumir a gestão e a comunicação de nove projetos vencedores do edital Arte, Educação e Tecnologia da Fundação Telefônica. Ao longo de 2012, estruturamos uma equipe para realizar o acompanhamento dos projetos espalhados por diversas regiões do Brasil (São Paulo, Distrito Federal, Mato Grosso do Sul, Santa Catarina, Bahia, Goiânia, Pernambuco, Ceará). Principais atividades realizadas: - desenvolvimento de site do site www.educacacaoeculturadigital.com.br; - produção de conteúdos multimídia sobre os projetos e suas ações; - visitas técnicas as organizações realizadoras; - elaboração e execução de estratégia de comunicação pelas redes sociais; - acompanhamento das metas e execução financeira dos projetos; - produção de relatórios técnicos e financeiros sobre os projetos para a Fundação Telefônica; - produção de uma publicação sistematizando e avaliando os avanços do projeto. "Educação e Cultura Digital", download aqui - https://fundacaotelefonicavivo.org.br/publicacoes Apoiadores desta iniciativa: Fli Produções Culturais, Casa de Cultura Digital e Fundação Telefônica. Período: 2011 e 2012
  • Documentação de apio à implementação das TICs nas escolas
    Ao longo de 2013, o IPFD em parceria com a Fli Produções Culturais realizou a documentação do projeto projeto "Escolas que Inovam", criado pela Fundação Telefonica para apoiar a implementação das TICs nas escolas municipais de ensino fundamental de São Paulo Amorim Lima (no Butantã) e Campos Salles (em Heliopolis). Para tanto, foi realizado: - desenvolvimento do site www.escolasqueinovam.org.br - produção de reportagens multimídia (vídeos, textos e fotos) sobre as escolas, suas metodologias e o projeto - produção de uma publicação online sistematizando o projeto e seus avanços. Apoiadores desta iniciativa: Fli Produções Culturais, Casa de Cultura Digital e Fundação Telefônica. Período: 2013
  • Direitos e deveres dos paciente na atenção básica à saúde
    Material produzido a partir do projeto FAPESP - Processo 2013/18822-7 intitulado “Vivências de Profissionais da Atenção Básica à Saúde relativas aos Direitos dos Pacientes” desenvolvido no Programa de Pós-Graduação em Gerenciamento em Enfermagem da Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo (2014-2015). Trata-se de Pesquisa-Ação que contou com a participação de 17 profissionais atuantes na Atenção Básica com o objetivo de socializar conceitos, ideias e práticas referentes aos atendimentos dos usuários dos serviços de saúde e sua relação com os direitos dos pacientes – quesito este considerado um dos pilares da Política Nacional de Saúde e do Sistema Único de Saúde (SUS). Apoiadores desta iniciativa: Período: 2016
  • Outras inciativas
    Realizamos também diversas publicações de interesse público e social, dentre elas: - Catálogos Para Falar com a Imprensa Sindical de São Paulo – edições de 1990 a 1997. - Clippings temáticos Mundo do Trabalho e Pronto Socorro – editados entre 1992 e 2000. - Cartilha Comunicação, Saúde e Comunidade: a contribuição das rádios comunitárias – editada em 2005. - Cartilha e publicações do Movimento Nacional dos Catadores de Materiais Recicláveis – editados em 2005.
bottom of page